h1

Aplausos!

5 de janeiro de 2012

Envelhecer…

Essa palavra causa arrepios em algumas pessoas, entristecem os adultos e alegram os adolescentes…

Mas, nos últimos tempos, a sensação de envelhecimento me traz felicidade.

Mostra que estou vivenciando uma época em que tive o prazer de acompanhar grandes pessoas e situações e que, daqui a alguns anos, estarei contando essas histórias para outras gerações.

Tá bom, nem estou tão velho assim. Com 27 anos temos ânimo pra mais algumas coisas na vida!

Mas uma das coisas das quais me orgulho de ter visto foi o surgimento, ascenção e glória do único goleiro de Seleção Brasileira em que confiei: Marcos.

Pros palmeirenses, São Marcos.

Independente da forma como queiram chamá-lo, Marcão é o único ser que consegue ser unanimidade até por onde não passou!

Ou me digam, caros amigos, independente do seu time do coração, algum de vocês tem algo contra esse exímio goleiro, que, com certeza nunca vestiu a camisa do seu time?

Pois bem, Marcos!

Você não foi o primeiro, nem será o último a sucumbir perante as dores que o futebol lhe trouxe. Mas o futebol brasileiro sentirá sua falta dentro de campo, com defesas maravilhosas e, até mesmo das falhas que você cometeu, que, passado alguns anos, vamos rir e dizer: “Ele falhou nesse lance, mas ele pegava muito”!

E você também fará falta fora das quatro linhas. Onde ouviremos declarações às vezes polêmicas, tantas vezes engraçadas, com aquele sotaque carregado e caipira?

Qual goleiro vai tomar café durante um jogo?!

Então, Marcos, só nos resta agradecer!

Como o futebol ainda é um entretenimento (mesmo que alguns o queiram tratar simplesmente como negócio), com direito a palco, atores, público e crítica , saiba que você foi um dos maiores protagonistas que este esporte já teve!

Aplausos!

Abraços!

h1

A culpa é toda minha e eu a coloco em quem quiser!

14 de março de 2011

“Aqui é trabalho, meu filho!”.

Um dos últimos bordões criados no futebol brasileiro tem como autor Muricy Ramalho, na época que comandava o São Paulo. Clube estruturalmente exemplar, onde existe trabalho, mas com as facilidades de um excelente departamento médico, academias, campos de treinamento, etc.

Ali foi trabalho, meu filho? Claro que foi!

Mas trabalho mesmo é ser campeão num time com as dimensões históricas do Fluminense. E ele conseguiu! Mas utilizando-se da última gota de ofensividade daquele time maravilhoso que fugiu do rebaixamento em 2009 (estranho, né? Mas quem se lembra desse time sabe o que estou falando!).

Até que o ano de 2011 chegou e Muricy Ramalho coloca em prática aquele futebolzinho pragmático e defensivo, que ele acredita que vai funcionar em todos os clubes que ele passar. E a má campanha do Fluminense nesse ano comprova essa tese não cola! 

Dito isso, é muito melhor encontrar outros motivos que levaram o clube à situação em que se encontra hoje do que reconhecer sua própria incapacidade de armar taticamente seu time.

Agora, o Fluminense está numa situação delicada na Libertadores, continua com uma estrutura precária e, pra piorar, viu seu comandante pular fora do barco durante o naufrágio!

“Parabéns” Muricy!

Duvido que se o Fluminense estivesse nadando num mar de rosas, você teria saído do clube!

Agora rezo aos deuses do futebol que o Santos não cometa o mesmo erro do Tricolor Carioca.

Um time com Ganso, Neymar e Elano não merece jogar atrás da linha da bola, na base do contra-ataque e do “chuveirinho”…

Abraço a todos!

h1

O cronômetro não quer saber…

22 de fevereiro de 2011

Nossa vida realmente é uma grande surpresa! Quando menos a gente espera, acontece algo que muda seu dia e tudo fica melhor. Na última sexta-feira, cheguei 10 minutos atrasado na sala de aula, que, para meu espanto, encontrava-se escura e vazia. Após um telefonema para o amigo Diogo Ramalho, fiquei sabendo que a turma estava no Minas Tênis Clube.

“Legal!”, pensei. Lugar diferente. Nunca estive lá. Uma parada rápida para um suco e um pastel e rumo ao MTC. Afinal, eu já estava atrasado e, no meu caso, o relógio não quer saber!

Chegando ao local indicado, fui à uma sala onde estavam meus colegas de turma, o professor Ivan e o assessor de imprensa do Minas Tênis Clube, Ronaldo Inácio. Após um bate-papo, fomos conhecer parte da estrutura do MTC. E que estrutura!

Todas as quadras estavam repletas de pessoas, jovens e adultos, praticando diversos esportes: futebol, basquete, ginástica artística. Mas o que mais me impressionou foram as jovens senhoras jogando vôlei! Felizes, com disposição. Mais tarde, o professor Ivan disse que as pessoas chegam ao Clube às 5 da manhã para jogar peteca! Mas, e daí? O relógio não quer saber! Azar de quem fica dormindo… Azar é meu!!!

Fomos até as piscinas do MTC e tivemos uma conversa bem interessante com o assistente técnico da equipe de natação do Minas, Vaccari. Durante nossa entrevista, um atleta em treinamento ia e voltava, ia e voltava, até um momento em que ele parou. Visivelmente cansado, puxava o ar com uma certa dificuldade e parecia prestar atenção nas respostas que seu comandante nos concedia. Após uma ordem de Vaccari, o nadador realizou mais umas braçadas, fazendo jus à frase-título desse texto, dita pelo próprio Vaccari: “O cronômetro não quer saber!”.

Para cidadãos comuns, a vida é pautada e gerenciada por relógios. Pelo seu celular, na parede da sala, no seu criado-mudo ou no seu pulso. Não importa o modelo ou a marca. O importante são as horas e minutos. Raramente os segundos tem alguma importância. Mas não no Minas Tênis Clube! Não para seus atletas! É tudo no cronômetro! Cada milésimo de segundo é importante para eles, independente se são amadores em busca de um lugar ao sol, profissionais ou somente pessoas atrás de diversão e boa saúde.

Como o nosso relógio não quer saber e o cronômetro do Minas também não, fomos à arena para conversar com algum integrante da comissão técnica da equipe local. Para nossa surpresa, tivemos um agradável diálogo com o ex-jogador da seleção brasileira de basquete e atual técnico da equipe de Bauru, Guerrinha, que estava por lá para um confronto contra o Minas. Ele nos contou suas experiências e opiniões, sempre com muita simpatia e boa vontade.

Em seguida, tive a oportunidade de quebrar um certo preconceito que muitos brasileiros possuem em relação à argentinos. O atual técnico da equipe de basquete do Minas, o hermano Nestor Garcia, nos agraciou com uma ótima prosa. As diferenças entre o basquete brasileiro e argentino, experiências no exterior, a rivalidade entre os dois países e a paixão que os adeptos de Maradona tem pelo esporte. Tudo dito no bom, velho e eterno portunhol, com muita paciência e algumas risadas!

Extremamente interessante! É assim que classifico nossa visita ao MTC. Um lugar que merece ser acompanhado pelos amantes de esporte, frequentado pelos que podem e servir de residência/referência para nossos atletas de ponta… aqueles que no lugar de um simples relógio, usam um aparelho que nunca quer saber!

h1

Ídolo ou apenas craque?

11 de janeiro de 2011

Há tempos, o futebol brasileiro não revela uma pessoa diferenciada dentro e fora de campo.

Eu não disse jogador, disse PESSOA!

Alguém que, além de encher nossos olhos dentro das 4 linhas, preenchem nossos ouvidos com boas respostas e opiniões contundentes, que não deixem suas vontades e obrigações nas mãos de empresários.

Pessoas como Sócrates, Casagrande, Romário, Ronaldo e Rogério Ceni. Penso que PH Ganso ainda pode figurar na lista acima, mas é cedo para fazer essa afirmação.

Dito isso, hoje estou certo que Ronaldinho Gaúcho pode ser taxado como craque, mas está muito longe de ser ídolo.

Tenho como ídolo aquele que se sobressai na sua profissão, mas que tem como adicional, postura e ações que servem como exemplo pessoal.

Durante toda a negociação, RG foi omisso, deixando tudo nas mãos de seu irmão/empresário Assis. Ele não foi capaz de emitir um só comentário sobre todo um processo que irá definir a vida dele por 3/4 anos! Um cara assim não pode ser colocado no mesmo patamar de ídolos como Ayrton Senna, Ronaldo e Zico, por exemplo.

Ter alguém de confiança ao seu lado para auxiliá-lo e aconselhá-lo em determinados momentos de dúvida é algo normal e que acontece comigo e com você.

Mas encarregar alguma pessoa a decidir 100 % de seu lado profissional, enquanto você está curtindo a vida numa boa, é uma tremenda falta de profissionalismo e personalidade.

Finalmente a novela teve um final pintado com as cores rubro-negras!

Não tenho dúvidas que Ronaldinho será destaque em todos os campeonatos que disputar!

E que o Flamengo terá seu escudo exposto em mídias do mundo inteiro e, com isso, enriquecerá ainda mais a sua marca!

Mas agora, Ronaldinho está marcado somente como craque.

Pra alguns isso basta.

Pra muitos, a pessoa ainda é mais importante!

Seja feliz Ronaldinho! Aproveitem Nação Rubro Negra!

A 10 do ÍDOLO ZICO agora vestirá o apenas craque Ronaldinho…

Abraços!

h1

Com Ronaldinho, todos ganham!

3 de janeiro de 2011

Ano após ano, a central de mercado do futebol brasileiro equipara-se às piores novelas que a TV tupiniquim já produziu. Vai! Não vai! Vem! Não vem mais! E todo aquele blá blá blá que jornalistas e torcedores são submetidos durante a abertura da janela de transferências.

E a atual novela das 8 (que há muito tempo começa às 9 da noite!) é a do ex-melhor jogador do mundo, campeão mundial em 2002, multi-campeão pelo Barcelona e que, nos dias de hoje, não é nem sombra daquele craque que encantou o mundo…

Não é de hoje que Ronaldinho Gaúcho está em má fase na Europa. E qual o melhor remédio para grandes jogadores que não estão jogando o que realmente sabem?

Óbvio que jogar no Brasil!!!

E os motivos são simples. Eles ficam próximos do pagode, churrasco e família, ganhando um salário exorbitante, mais patrocínios, extras, bichos, programas de televisão, etc.

Mas quer saber o principal da história do Ronaldo, Adriano, R. Carlos e, provavelmente, Ronaldinho Gaúcho?

Definitivamente, não precisam jogar tudo que sabem pra se destacarem no Brasil. O fraco futebol apresentado por eles no Velho Continente é algo acima da média nos nossos gramados. Na Europa, ao lado de nomes como Pirlo, Pato, Ibrahimovic, entre tantos outros, esses atletas são apenas mais um. Aqui, independente da forma técnica e/ou física em que se apresentem, serão sempre “algum deles mais 10”.

Existe algum time brasileiro que poderia dar-se ao luxo de não escalar Ronaldinho Gaúcho entre os titulares? Alguém tem um jogador com esse talento no plantel?

E a escalação dele não ocorreria somente por questões técnicas! Torcida, mídia e patrocinadores imploram por esses craques dentro de campo! E não é por acaso! Pesquisem o quanto a marca Corinthians cresceu com a chegada de Ronaldo! Quantas camisas 9 alvinegras não foram vendidas! Quantos pontos a mais no IBOPE ganham Globo e Band com ele em campo!

Então amigos, Ronaldinho está chegando! Pouco importa se no Flamengo, Grêmio ou Palmeiras… Todos ganharão com sua chegada! Clube, mídia, torcida, jogador!

Mas o futebol brasileiro será o maior beneficiado!

Abraços e feliz 2011 a todos!!!

h1

Boa sorte!

17 de dezembro de 2010

O Atlético/MG acaba de anunciar Richarlyson como mais um reforço pra temporada.

O Galo contratou um jogador que os treinadores amam, mas os torcedores nem tanto…

Richarlyson é um jogador versátil, que joga em várias partes do campo e que, com isso, oferece ao técnico inúmeras opções de mudanças táticas antes e durante a partida. O aspecto físico é outro ponto positivo a favor do ex-sãopaulino. Poucas lesões e muita correria fazem parte do currículo dele.

Mas, apesar da versatilidade, Richarlyson faz tudo de forma mediana. Zagueiro e lateral nota 3, volante nota 5 e meia nota 2. Estabanado e, infelizmente, joga bem menos do que acha(m) que ele joga.

As polêmicas também devem ser levadas em conta. Por morar em Belo Horizonte, acredito que a torcida atleticana não deverá ser tão tolerante a apliques, festas GLS e afins. Cabe à diretoria e ao jogador evitar esse tipo de desgate, pois a fusão “mau futebol + polêmicas” podem ser desastrosas pra ambos.

Boa sorte ao Richarlyson!

Mais sorte ainda ao Galo!

Abraços!

h1

Adriano e Ronaldo: ou um ou outro!

29 de novembro de 2010

Segundo o Blog do Benja, o Corinthians tem uma negociação bem avançada com o Imperador Adriano, que, nos últimos anos, só deixou saudade mesmo no Rio de Janeiro.

Mas, para aqueles que acham que o Timão jogará em 2011 com aquele mesmo ataque pesadão que disputou a Copa/2006 está muito enganado!

O Imperador não formará dupla de ataque com o Fenômeno, mas será um substituto de luxo dele.

Ronaldo jog0u poucas partidas em 2010 e ninguém conseguiu substituí-lo a altura. Com Adriano, além de ter alguém do peso de Ronaldo (sem trocadilhos!) em campo, o Corinthians também teria mais um grande nome para fortalecer seu marketing e expandir seu nome no exterior.

Mas, antes de contratá-lo, o time de Parque São Jorge deve avaliar o “Kit Adriano” que, além de gols, também vem recheados de problemas extra-campo.

Seria realmente muito atrativo ter mais um grande jogador atuando no Brasil, mas, não se iludam! O futebol atual não comporta jogadores como Adriano e Ronaldo atuando juntos.

Ou um ou outro!

A não ser que você seja o Parreira…

Abraços!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.